leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

29/10 - OFICINA DE PERCUSSÃO CORPORAL COM ANDRÉ VENEGAS EM ARAGUARI


André Venegas

Músico, ator e arte-educador. Ingressou no Barbatuques em 2001, através da Orquestra Orgânica Performática da ULM coordenada por Stênio Mendes e Fernando Barba.

Com o grupo Barbatuques participa de shows e oficinas dentro e fora do Brasil, ministrando oficinas para os públicos mais variados, de crianças a grupos de 3ª idade, de artistas e educadores à diretores de empresas.

Viajou com o grupo para diversos países como Alemanha, China, Colômbia, Espanha, Estados Unidos, França, Líbano, entre outros.

Trabalhou por muitos anos na Oficina dos Menestréis, fazendo musicais como: “Good Morning São Paulo”, “Colombo”, “Puts”, “A Televisão Matou a Janela” e “Noturno”, este com direção de Oswaldo Montenegro.

Venegas foi assistente de direção na “Cia de Artes” em 2002 e 2003 e, entre 1995 e 2003, trabalhou com o Ilusionista Issao Imamura.

Realizou oficinas de percussão corporal dentro projeto Joaninha e Professor Criativo do Ballet Stagium, direcionado a crianças e educadores.
Oficina de percussão corporal

Percussão Corporal

A proposta pedagógica baseada na utilização do corpo como instrumento musical. De forma prática e coletiva, as oficinas proporcionam aos participantes a exploração e descoberta dos inúmeros sons produzidos pelo corpo: palmas, estalos, batidas, sapateados, recursos vocais entre outros; e a utilização deles na produção de ritmos e melodias.

São indicadas a qualquer pessoa, independente da idade e formação, principalmente a quem deseja desenvolver a capacidade rítmica e de improvisação, aprimorar a coordenação motora e conhecer uma forma ampla de “musicalizar-se”. Profissionais educadores, das mais variadas áreas, podem enriquecer sua didática com elementos da percussão corporal. O conteúdo das oficinas atende ainda com bastante aproveitamento grupos específicos, como em projetos sociais, turmas infantis e grupos artísticos.

O corpo humano pode ser considerado nosso primeiro instrumento musical. Temos nele, desde o início, a presença do ritmo como a batida do coração, a respiração e o caminhar. São processos que envolvem regularidade, repetição e que trazem referências rítmicas. Não é a toa que no vocabulário musical são utilizadas as palavras pulsação e andamento.

A criança explora ludicamente os sons do corpo e dos objetos ao seu redor, o adulto também utiliza sons corporais em seu cotidiano para se comunicar ou fazer música. As oficinas de percussão corporal resgatam esta percepção e o momento infantil de brincar sonoramente com o corpo, revivendo sons familiares e gerando novos sons para nosso repertório.

Pesquisando os sons produzidos pelo corpo, entramos em contato com nossas características e sotaques. Cada pessoa tem um corpo diferente, com tamanho e dimensões individuais, timbre de voz, facilidade para produzir certos sons e dificuldades com outros.  A prática em grupo nas oficinas de percussão corporal promove a convivência entre esses diferentes corpos sonoros e intenções que se chocam e se complementam. Ouvindo o colega, o participante exercita o diálogo musical, a cooperação e a concentração.

O aprendizado de diversos ritmos e dos jogos de improvisação estimula a capacidade de criar, ouvir e interagir em grupo. Além disso, a prática da percussão corporal trabalha a percepção musical.