leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

SERGIO CABRAL QUER ACABAR COM PROJETO SOCIAL DE MMA


"O Núcleo de Artes Marciais da Usina da Cidadania, comandado por Pedro Rizzo, é um dos principais projetos sociais relacionados ao MMA no Rio de Janeiro. Para Rizzo, inclusive, é o “maior e mais estruturado” projeto social do país. Segundo assessoria da Refinaria de Petróleos de Manguinhos, patrocinadora do projeto, o “Usina de Campeões” tem matriculadas 850 crianças, que foram retiradas das ruas e buscam inclusão na sociedade através do esporte. Porém, essa ação filantrópica está ameaçada.

No último dia 15 de outubro (dois dias depois do UFC Rio 3), o Governo Estadual anunciou a decisão de desapropriar a área onde está situada a Refinaria, e o governador Sergio Cabral alegou o não pagamento de impostos e a intenção de se construir um bairro modelo no espaço localizado em Manguinhos, na Zona Norte do Rio, em comunidade que acaba de ser ocupada pela polícia para instalação de Unidade de Polícia Pacificadora (UPP).

Em entrevista ao PVT, Pedro Rizzo prometeu lutar ao lado da Refinaria até o fim, utilizando meios jurídicos e abaixo-assinado. Porém, a batalha, que acaba de começar, já faz vítimas. Crianças devastadas com a iminência do fim de um sonho. Professores de mãos atadas, sem poder estender a mão para seus alunos.

“As crianças e os professores estão arrasados. Um professor teve princípio de AVC, um outro não está conseguindo trabalhar. As crianças só choram. Tem pais que participaram do projeto no início e puseram seus filhos lá, tem uma história de família. É difícil. Se o governador não acredita no projeto, perca uma manhã ou tarde e vá lá ver as crianças”, faz um apelo Rizzo.

Confira abaixo a entrevista completa com Pedro, líder do Núcleo de Artes Marciais.

Nesta segunda vocês fizeram um protesto na avenida Brasil, um treino com as crianças. Como foi? Quem esteve presente?


Foi em frente à Refinaria, num recuo da Avenida Brasil, para não atrapalhar o trânsito. Tivemos essa preocupação. Foi um protesto pacífico. As pessoas iam passando, buzinavam, apoiavam uma causa justa. Estávamos eu, José Aldo, Raoni Barcellos. O Glover chega amanhã para nos ajudar.

Quisemos mostrar que as crianças estão sendo desapropriadas também. Estão falando só da refinaria. É um projeto que começou em 1997, tem então 15 anos, é muito sólido. A refinaria é nossa mantenedora, nossa patrocinadora, e nunca vi projeto social como esse em lugar nenhum. Estão querendo prejudicar 850 crianças. É uma maldade!

Como as crianças receberam a possibilidade do fim do projeto?

As crianças e os professores estão arrasados. Um professor teve princípio de AVC, um outro não está conseguindo trabalhar. As crianças só choram. Tem pais que participaram do projeto no início e puseram seus filhos lá, tem uma história de família. É difícil.

Em que estágio está essa situação atualmente?

Não sei como está hoje. O setor jurídico da Refinaria está lutando para manter, e eles tem vários outros projetos, não só artes marciais. Está difícil, mas vamos lutar até o fim. Nós não estamos lutando só pela refinaria, estamos lutando pelas crianças.

Falaram em realocação do projeto?

Não falaram, mas também é inviável. Como eu disse, estamos há 15 anos ali naquele espaço. Já dei aulas e palestras em projetos em todo o Brasil, e nunca vi um projeto estruturado como aquele, tão competente, tenho orgulho dele. Realocando, eles vão de qualquer forma parar de beneficiar aquela região. As crianças vão perder muito. Não sei por que o Governo quer fazer essa desapropriação, mas eles foram eleitos pelo povo, e tem que fazer pelo povo. E farão muita coisa se mantiverem esse projeto.

Pelo que tem visto nos bastidores, ainda tem esperança?

Cara, eu sempre tenho esperança. Ainda mais com um monte de crianças torcendo por você, para tudo dar certo. Não tem energia maior. A refinaria é importante não só para mim como atleta, mas para crianças que tem contato com José Aldo, Glover Teixeira, lutadores da geração nova como Guilherme Viana, Raoni Barcellos, Rafael Corrêa. Vai ser uma briga muito grande para não mudar tudo, sair do lugar... É muito ruim, é difícil pensar que acabou.

Há algum abaixo-assinado apoiando a causa e a manutenção do projeto?

Tem um abaixo-assinado sim (veja clicando aqui). Falaram que conseguiram 50 mil assinaturas, mas parece que o governador está irredutível, quer manter a desapropriação. Mas vamos tentar de tudo.

O que você diria para convencer ao governador, para que ele mantenha o “Usina”?

Vá lá um dia, governador, que o senhor vai entender. Vai entender o porquê do apelo, da resistência. Se o governador não acredita no projeto, perca uma manhã ou tarde e vá lá ver as crianças."