leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

terça-feira, 23 de outubro de 2012

TUF BRASIL 2 - LUTADORES SE SACRIFICAM POR UMA SELETIVA CANCELADA

Mais uma vez o UFC demonstra seu descaso e desrespeito pelos atletas, agora além de promover as lutas que mais vendem, desrespeitam e tratam os atletas com total falta de consideração e descaso, sim, os mesmo atletas que são a razão do UFC existir. UFC para mim agora é Ultimate Fake Championships

Confira trechos da matéria postada no Portal do Vale Tudo:


"A 1ª edição do The Ultimate Fighter Brasil realizou sonhos de muitos lutadores. Alguns ex-participantes ainda estão sob contrato do UFC, e ganharam visibilidade que nunca tiveram. Mesmo aqueles que não conseguiram contratos, passaram a ter status de celebridade conseguindo patrocínios e reconhecimento nas ruas.

O sucesso da primeira edição do evento levou muitos lutadores a sonhar com a chance de participar da 2º edição do show. Quando o UFC anunciou que as seletivas para a segunda edição (agora nas categorias leve e meio-médio) ocorreriam no hotel Windsor no Rio no dia seguinte ao UFC Rio 3, centenas de atletas de norte a sul do Brasil trataram de conseguir dinheiro para comprar suas passagens e reservar hotéis no Rio durante os dois dias da seletiva.

Realizada entre sete da manhã e 22hs de domingo a seletiva corria a todo vapor com atletas das duas categorias mostrando suas habilidades para a banca do UFC. Na coletiva de imprensa após o UFC Rio 3, Dana White anunciou que não haveria mais a categoria dos leves no programa, causando um verdadeiro rebuliço no hotel. Prantos e tristeza tomaram conta do hotel Windsor, na Barra, onde eram feitos os testes.

“Soube de lutadores que vieram do norte do país, e fizeram rifa, venderam até gado para participar das seletivas. O UFC alegou que não tinha gostado dos lutadores da categoria leve. Mas como pode se é esta a categoria onde temos mais atletas duros? Na seletiva estavam caras como Flávio Álvaro, Bruno Carvalho, Raoni Barcellos, Gilbert Durinho... Um absurdo!”, disse ao PVT um conhecido treinador que preferiu não se identificar.

Um lutador de Belém, que também pediu anonimato, nos revelou que gastou mais de RS 3 mil para vir ao Rio: “Peguei a maior parte emprestada com conhecidos, com amigos. Agora tenho que pagar a todo mundo, e minha categoria nem teve disputa”, lamentou o peso leve que nos revelou que um conterrâneo vendeu o carro para comprar a passagem e participar da seletiva.