leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

terça-feira, 20 de novembro de 2012

CONSCIÊNCIA É PRA QUEM TEM - VOCÊ TEM?



 Situações de injustiça criam a necessidade de ações corretivas, uma série de trabalhos e projetos que visam melhorar ou estabilizar tais situações. Para isso foram criados o Estatuto da Criança e do Adolescente em reconhecimento a necessidade de se combater a violência crescente contra menores de idade, Lei Maria da Penha visando proteger e zelar pela segurança da mulher, as Cotas Raciais que visam resgatar e valorizar o cidadão, bem como inserir o negro e seus descendentes não apenas no mercado de trabalho, mas também social e economicamente.

Porque algumas dessas ações não funcionam tão bem quanto deveriam? Porque em parte, os responsáveis por essas ações não trabalham na essência do problema, que é a educação. Formar cidadãos capazes de compreender a situação atual, a causa e suas razões e a partir disso, reconhecer a necessidade de uma mudança e agir em prol da mesma, isso é senso coletivo.

Existe um certo tabu por parte de muitas pessoas quando se trata da abordagem do tema Consciência Negra, de maneira aberta as opiniões, defendendo o que acredita e com disposição para compreender e refletir sobre a real necessidade, que é o respeito ao ser humano.

Discutir sobre Consciência Negra, ao meu ver, é dialogar sobre uma parte da humanidade, é buscar compreender uma parcela da consciência humana.

No Brasil, o sistema de educação vigente preza tanto a igualdade, que esquece um pouco das diferenças, que são as nossas maiores riquezas enquanto seres vivos. 

O que gera inconformismo e incompreensão a causas como esta, não são os motivos que fazem com que ela exista e sim a falta de informação e preparação para que elas sejam implementadas de forma clara e justa. O preconceito e a alienação tendem a aumentar quando a informação carregar apenas opinião e não a verdade, e quando isso se dá, não há evolução, há controle.

Por esse motivo devemos questionar nossas ações, questionar e rever nossos valores, procurar entender mais além do que está ao nosso redor e fazer parte das mudanças sociais e individuais necessárias para uma evolução coletiva. O Dia da Consciência Negra, nada mais é do que um dia de valorização, respeito e reconhecimento ao ser humano.

Texto: Tio Lucas
Publicado originalmente no jornal ABADIA NOTICIAS.