leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

sexta-feira, 4 de janeiro de 2013

CRÔNICA: 2013 por Zé Alfredo Ciabotti


Neste próximo ano, desejo que você leia. Isso, leia e aproveite as horas vagas para ler um pouco mais. Estabeleça um número de páginas diárias de literatura. O mesmo vale para os filmes. Deixe de lado os badalados, procure, pesquise. Um bom filme alça a imaginação, independente da companhia ou mesmo da pipoca. Aprenda uma dança, queime calorias e se divirta com seus erros frente ao espelho. Tango ou arrocha, dance. Escolha uma noite e saia para dançar. Valorize os pequenos prazeres e as companhias de um amigo. Chame-o para um chope ou um café. Faça uma macarronada ou um bolo de cenoura. Mude suas conversas. Não fale de pessoas. Não dê falsos testemunhos. Prove a você mesmo que não é tão difícil ser inteligente sem ser importuno. 

Trabalhe sem resmungar. Por maior que seja a desilusão, pense antes de protestar. São muitos os que gostariam de receber metade do seu salário. Opte pela sinceridade. Um dia você aprende que enganar de nada serve. Faça orações. Não são necessários terços, livros sagrados, cultos ou missas. Há quem saiba rezas de cor. Há quem paga dízimos. Há quem dá bom dia aos outros e realmente muda algo. Faça sexo com a pessoa amada. Preserve alguns dias, claro, para não transformar o desejo em obrigação. É bom que saiba. O próximo ano será difícil, complexo e, muitas vezes, previsível. Haverá corrupção, violência, desastres, discórdias, crises econômicas, intolerância e inúmeras demonstrações de ódio e descaso. Será preciso enfrentar tudo isso. Alguns demonstrarão indiferença, outros continuarão apenas seus próprios interesses. Inteligente serão aqueles que lutarem por causas nobres, que não desistirem diante do primeiro nem do último problema. Mesmo que fracasse em seu ideal.

Diga à pessoa amada, o quanto você a admira. Explicite como a beleza está no convívio cotidiano. Eles dirão que não merecem tantos elogios. Discorde. Preserve momentos de solidão. Converse consigo. Seja exigente, mas saiba se valorizar. Relembre sempre as alegrias e tristezas vividas, porque não? Nestas horas você notará o quanto é nobre envelhecer. 

Sobretudo, ajude ao próximo. Estamos neste mundo para ajudar os desafortunados, deixar um legado. De nada vale os materiais. Leve uma palavra amiga ou mesmo o alimento à quem precisa. O assistencialismo não se resume em compartilhar uma foto em seu Facebook. Resume em atos. Tem o direito de criticar aquele que pretende ajudar. Portanto, levante-se, reinvente o ano que está por vir.


por Zé Alfredo Ciabotti