leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

quarta-feira, 16 de janeiro de 2013

#DOCUMENTÁRIO - Ditadura no Brasil - Documentário Completo - Golpe Militar - Intervenção dos EUA



Cenas da morte de John Kennedy e a posse de Lyndon Johnson abrem este documentário, dando seqüência a estratégia dos Estados Unidos de impedir, ao que o sucessor de Kennedy, chamou de "um outro regime comunista no hemisfério ocidental" - Ele continuou - "Vamos ficar em cima de Goulart e nos expor se for preciso", disse Jonhson, numa referência ao ex-presidente João Goulart.

Imagens focam no discurso de Jango, apelido de Goulart, na estação Central do Brasil (Rio de Janeiro), em 13 de Março de 1964, que foi considerado uma provocação pelos arquitetos do golpe. 

Os americanos já preparavam o esquema, enviando suas forças militares para o "controle das massas", como se refere um dos entrevistados. Paralelamente, articulações para levar o marechal Humberto Castelo Branco ao poder estavam sendo engendradas.

As forças americanas não precisaram entrar em campo. João Goulart pegou o avião, foi para Brasília e depois para o sul do país. Por que Jango não reagiu? 

É uma questão posta na tela. O general Cavalcanti, oficial da guarda presidencial, resume: "Lamento que foi um golpe fácil demais. Ninguém assumiu o comando revolucionário".

Os Estados Unidos estavam mobilizados para, em caso de resistência, fazer a intervenção militar pela costa e assim ajudar os militares. As correspondências de Lincoln Gordon com o primeiro escalão da Casa Branca são mostradas ao público, explorando as ações secretas junto às Forças Armadas, a reação da imprensa e dos grupos católicos no Brasil. 

Os Estados Unidos reconhecem o novo governo e imagens da vitória e manifestações de rua entram em cenas.