leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

sábado, 16 de março de 2013

ANDOVENDO: O Livro de Eli

http://4.bp.blogspot.com/_BNGHHUbk8pY/TTczXFPRwVI/AAAAAAAAAYo/87V-p0v79DQ/s1600/book_of_eli_2010.jpg

O Livro de Eli é um desses filmes que mexem com a cabeça da gente. Tanto no quesito fé, quanto no sentido de deixar no ar questões para livre interpretação, como no começo do filme, em que vemos Eli (Denzel Washington) caminhando por um mundo devastado, seco, sem vida, quase inabitável. Percebe-se ao longo do filme, que houve uma guerra, mas não sabemos como aconteceu, por quê aconteceu, muito menos quando. O fato é que o mundo se encontra caótico, se hoje temos água para beber, tomar banho, cozinhar e disperdiçar lavando calçadas ou esquecendo uma torneira aberta, no futuro, a única coisa que faremos com ela, será beber, tamanho será sua escassez. Banhos? Nem sabonetes e xampus mais existirão...

Em um mundo pós-apocalíptico, confiança é um privilégio, conhecimento é para poucos e fé é uma palavra sem sentido para quase todos.

O enredo do filme gira em torno de Eli, que obstinado ruma à Oeste, pois crê que tem uma missão a cumprir nessas terras, já que possui o último livro que fala sobre Deus, e almeja poder levar esperança e contribuir com a contrução de um novo mundo. Entretanto, outros também procuram o livro, com a ambição de torna-lo uma arma de dominação populacional, fazendo alusão com os dias de hoje, onde em muitos lugares, a religião tem o poder de dominar, julgar e até executar, em nome de Deus. A questão é que Eli, além da fé inabalável possui uma espécie de "blindagem divina", pois, apesar de ser muito habilidoso, parece que nada o atinge. Determinado e disciplinado, ele lê seu livro todos os dias, o mesmo livro, durante cerca de 30 anos. 

O filme traça um paralelo entre os perigos da religião e a importância da consciência de Deus, que apesar de parecerem a mesma coisa, não são!
Ressalta também a questão de deturpação, por parte do ser humano, das coisas divinas, as quais são usadas como justificativas de opressão, poder e dominação. Além de destacar e de certa forma, "prever" o futuro ao qual estamos sujeitos, se continuarmos a insistir em manter nossos erros e ignorancias. Ainda assim, o filme traz consigo uma mensagem de esperança.

Um excelente filme para quem aprecia filmes de ação, uma ótima oportunidade para desenvolver um pouco de criticidade, renovar a fé e perceber que Deus e religião, não dependem necessariamente um do outro. Deus e fé, é o que você carrega dentro de você. Religião é um termo humano criado para segregar e até dominar um povo.
Um tanto quanto pôlemico...

Ficha Técnica
Diretor: Albert Hughes, Allen Hughes
Elenco: Denzel Washington, Gary Oldman, Jennifer Beals, Mila Kunis, Ray Stevenson, Lora Martinez-Cunningham, Luis Bordonada, Tom Waits, Frances de la Tour
Produção: Broderick Johnson, Andrew A. Kosove, Denzel Washington, Joel Silver
Roteiro: Gary Whitta
Fotografia: Don Burgess
Trilha Sonora: Atticus Ross, Leopold Ross, Claudia Sarne
Duração: 118 min.
Ano: 2010
País: EUA
Gênero: Suspense
Cor: Colorido
Distribuidora: Sony Pictures
Classificação: 16 anos