leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

sábado, 11 de maio de 2013

ANDOVENDO: Estamira

http://br.web.img2.acsta.net/r_640_600/b_1_d6d6d6/medias/nmedia/18/90/53/91/20101478.jpg 



Estamira é uma produção brasileira do começo dos anos 2000, vencedor de dezenas de prêmios nacionais e internacionais, do gênero documentário e traz uma abordagem bastante original em relação a condução do filme; a personagem principal é a condutora e narradora. Em um discurso direto, Marcos Prado (Diretor) dá total liberdade à personagem, Estamira, que pouco a pouco se releva e releva o mundo em que vive.

Condenada pelas circunstâncias a sobreviver dos lixões, Estamira é diagnosticada como louca, mas em diversos momentos apresenta argumentos mais sólidos e lúcidos que muitos considerados "sãos", entretanto, oscila entre a realidade extrerna e a realidade criada em sua mente, entre a loucura e a sanidade, entre o odio e o rancor, entre a esperança e a dor.

Inquieta e decidida, Estamira representa milhares de pessoas em situações de risco, esquecidas pela sociedade e ignoradas pelo Governo. Descrente de Deus e sem fé, cada dia é uma batalha e somente a morte pode representar a paz e o descanso. Dividida entre viver no lixão ou ir para o hospício, ela faz do aterro sanitário seu lugar de refúgio. 

Definitivamente, um filme para ver, rever e refletir. 
O que é considerada loucura, quando a sanidade dos "normais" se encontra totalmente vulnerável e frágil? O que delimita a loucura da sanidade? Até quando continuaremos a ignorar fatos e situações que os ditos loucos já reconhecem?
Falar de loucura é fácil, o desafio é ouvir sobre ela e compreendê-la!


Ficha técnica
Título original: Estamira
Gênero: Documentário
Duração: 121 min.
Lançamento (Brasil): 2004
Direção: Marcos Prado
Roteiro: Marcos Prado
Produção: Marcos Prado e José Padilha
Música: Décio Rocha
Fotografia: Marcos Prado
Edição: Tuco