leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

quarta-feira, 26 de junho de 2013

É O BICHO: MUDSKIPPER O ESTRANHO E FASCINANTE PEIXE QUE CONSEGUE VIVER POR HORAS FORA D'ÁGUA


Esse é o Mudskipper, um peixe bastante exótico e com comportamento e características muito interessantes. Para mim, mais um extraordinário exemplar da vida aquática.

Periophthalmus
é um gênero de peixes da família Gobiidae que têm a característica de serem anfíbios. Têm capacidade de armazenamento de água nas câmaras branquiais por várias horas e modificações nas nadadeiras que viabilizam sua locomoção terrestre. O nome do gênero significa "olhos posicionados na região periférica".


São pequenos peixes que vivem no lodo, nas regiões costeiras tropicais e subtropicais do Indo-Pacífico e na costa ocidental de África, em ecossistemas como os mangues. São extremamente ativos fora da água, inclusivamente saltando (mudskippers, ou "saltadores do lodo", nome também usado em português, como no caso do Periophthalmus argentilineatus, saltador-do-lodo-atlântico). Dessa forma, eles caçam pequenos caranguejos e até insetos terrestres, de que se alimentam, para além de interagirem entre si, por exemplo, para defenderem o seu território.

Os saltadores são membros da sub-família Oxudercinae e da tribo Periophthalmini.


O gênero Periophthalmus tem 17 espécies válidas descritas. Periophthalmus argentilineatus é uma das espécies com maior distribuição e mais bem conhecidas, desde os mangues e no lodo costeiro da África oriental e Madagascar até ao Sudeste Asiático, norte da Austrália, sul da China e do Japão, até às ilhas Samoa e Tonga Islands. Pode crescer até um comprimento de 15 cm e é um carnívoro oportunista, alimentando-se de pequenos caranguejos e outros artrópodes.


A espécie Periophthalmus barbarus é o único saltador das áreas costeiras da África ocidental (Murdy, 1989).

Estes peixes apresentam uma série de adaptações, tanto comportamentais, como fisiológicas à vida anfíbia
  • Anatômicas que lhes permitem locomover-se tanto em terra como na água, incluindo barbatanas peitorais com uma forma especial.
  • Fisiológicas, como a capacidade de respirar através da pele, da mucosa oral e da faringe). Isto é possível apenas quando o animal tem a pele úmida, o que limita a sua distribuição. Esta forma de respiração é similar à dos anfíbios e é chamada respiração cutânea. Outra importante adaptação que ajuda a respiração é a presença de grandes câmaras branquiais, que podem reter água, permitindo aos peixes continuar a retirar oxigénio dessa água, mesmo quando estão fora dela.
  • Comportamentais, como a escavação de fundas galerias em sedimentos macios, que ajudam o animal na termorregulação. Estas galerias também os ajudam a evitar predadores durante a maré alta, quando normalmente ficam submersos. Finalmente, estas moradas subterrâneas servem de "maternidades", uma vez que é ali que os Periophthalmus desovam e guardam os ovos até à eclosão. Mesmo com a sua galeria submersa, os saltadores mantêm ali dentro uma bolsa de ar, que lhes permite respirar em condições de concentrações muito baixas de oxigênio.