leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

quinta-feira, 27 de junho de 2013

NAVEGANDO: PROJETO RIOS VOADORES


A Amazônia é a maior floresta tropical remanescente no planeta terra, também é a que possui a mais vasta biodiversidade dentre elas
, e cobre a Bacia Amazônica, que é a maior bacia hidrográfica do mundo. Em toda sua extensão, ela abrange sete estados brasileiros e ocupa o território de nove nações. 



É conhecida como o pulmão e/ou a caixa d'água do mundo, além de ser muito importante para a regulação do clima em toda a América do Sul, pois sem sua cobertura os dias seriam mais quentes e secos até pra que está bem distante dela. Mas o que pouca gente sabe, é que uma enorme quantidade de água, praticamente na mesma ordem de vazão diária do Rio Amazonas, atravessa o país de forma invisível através das massas de ar úmido, os chamados Rios Voadores, que contribuem diretamente para o regime de chuvas nas regiões Sudeste, Centro-Oeste, Sul, além dos países vizinhos como o Paraguai, a Argentina e o Uruguai. 


Tudo isso só é possível graças a dois pontos principais, o primeiro é um acidente geográfico acontecido fora daqui que originou a Cordilheira dos Andes, e o segundo é a própria floresta, que atua como uma bomba d'água, capturando a água evaporada do Oceano Atlântico e devolvendo ela à atmosfera em maior quantidade. Quando essas massas de ar atmosférico cheias de vapor d'água seguem seu curso em direção aos Andes, elas se chocam com essa barreira natural, onde parte se precipita, formando as cabeceiras dos rios amazônicos e a outra parte é desviada para o Sul. 


Há três décadas cientistas brasileiros identificaram essas massas e quem começou os estudos foi o Profº Enéas Salati.  Por volta de 2006, após inúmeras conversas entre o engenheiro/aviador Gérard Moss, o Profº Antonio Donato Nobre e com o apoio do precursor, surgiu o Projeto Rios Voadores, que desde o princípio é patrocinado pela Petrobras

Os objetivos da pesquisa são: identificar e classificar o vapor de acordo com sua origem; seguir e monitorar a rota dos rios voadores, para compreenderem a influencia dos desmatamentos e  das queimadas no balanço hídrico do país, e ainda a relação deles com o as mudanças no clima; conscientizar e valorizar a preservação da Amazônia, encarando-na como essencial tanto para a qualidade de vida quanto para o desenvolvimento econômico do país.

Estava NAVEGANDO quando encontrei uma matéria curta a respeito destes rios voadores que me instigou a procurar por mais, pois tenho um certo interesse em questões relacionadas ao clima, sobretudo quanto as chuvas e seus fatores motivadores. Como achei o projeto bem foda, tentei fazer um apanhado geral sobre o fenômeno e o projeto, mas caso tenha vontade de se aprofundar no assunto acesse a página do PROJETO RIOS VOADORES.