leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

quarta-feira, 10 de julho de 2013

É O BICHO: O CHARME E VENENO DO PEIXE LEÃO VERMELHO

Nomes comuns: Peixe-pedra, Peixe-peru, Peixe-leão, Peixe-escorpião, Peixe-dragão
Conhecidos por seus enormes espinhos dorsais e pela coloração listrada, de cores vermelha, marrom, laranja, amarela, preta ou branca, os peixes marinhos venenosos dos gêneros Pterois, Parapterois, Brachypterois, Ebosia ou Dendrochirus, pertencentes à família Scorpaenidae tem como representante mais conhecido o Peixe-leão-vermelho.
Predadores vorazes, encurralam as presas com seus espinhos e as engole por inteiro. 
Nativos da região Indo-Pacífica, vivem próximos à recifes de coral, sendo que algumas espécies podem ser encontradas em outras regiões do mundo, devido a introduções, como no oeste do Oceano Atlântico e Mar do Caribe.
Vivem até 15 anos e podem pesar até 200g.
De hábitos noturnos, se abrigam em cavernas ou fendas durante o dia. Alimentam-se de pequenos peixes vivos, mas em cativeiro podem ser habituados a comer camarão congelado. São ovíparos e a desova acontece à noite.

O veneno é inoculado através de espinhos localizados nas regiões dorsal, pélvica e anal. Geralmente possuem de 12 a 13 espinhos dorsais, 2 pélvicos e 3 anais. Cada espinho possui duas glândulas que produzem e armazenam veneno.
Os espinhos peitorais não possuem glândulas de veneno.
Constituído de proteínas termossensíveis vulneráveis ao calor a potência do seu veneno varia de acordo com a espécie e tamanho do peixe-leão.

Os principais efeitos são: dor intensa localizada, seguida de edema local, podendo também a vítima sentir náuseas, tontura, fraqueza muscular, respiração ofegante e dor de cabeça.
 
Os primeiros socorros constituem-se na imersão do local afetado em água quente (43-45 °C) por 30 a 40 minutos ou até a dor diminuir.
Lionfish ou Peixe-leão