leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

quinta-feira, 29 de agosto de 2013

ANDOUVINDO: A PECULIAR, MISTERIOSA E HIPNOTIZANTE SONORIDADE ORGÂNICA DO DAWN OF MIDI


Durante as minhas andanças virtuais em busca de música nova, acabei chegando até o Dawn of Midi, com a formação semelhante ao de um autêntico trio de jazz, composto por baixo, bateria e piano, a banda resolveu expandir um tanto os horizontes do gênero, criando uma sonoridade bem diferente de tudo que há por aí.



O grupo foi formado em meados de 2009, no Brooklyn, pelo baixista indiano, radicado nos EUA, Aakaash Israni, o baterista e percussionista americano com descendência paquistanesa Qasim Naqvi e o pianista marroquino Amino Belyamani. A somatória da herança e das escolhas musicais destes três caras é o que traz tamanha peculiaridade ao som do Dawn of Midi.




Vi por aí diversos sites especializados em música enquadrando eles em estilos como free-jazz, electro-psych-jazz, mas a própria banda diz fazer um minimal acústico.


Em 2010, eles lançaram o primeiro álbum, "First" e nessa mesma época, a grande capacidade de improvisação e sintonia do trio nas  apresentações ao vivo começaram a chamar atenção. E no começo deste mês, eles liberaram o segundo disco, "Dysnomia", que foi bem recebido pela crítica e destacado como um dos trabalhos mais distintos desta fase recheada de grandes lançamentos.

A repetição é hipnotizante, é tão sequencial que fica difícil até mesmo perceber a mudança de faixas. Eu ando ouvindo muito, é bom para todos os momentos. Curte aí.