leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

10ABAFOS


Contida no inferno moderno.
A solidão é um prato modesto.
A podridão é sincera e friamente social.
E, compartilhada, se torna uma cartilha moral.

Prepara a terra e tenta voar. 
Separa o ar e não flutua, feito estátua a chorar.
Pluma nua no entardecer sem cor.
Lágrima pura aprisionada em dor.

É o meu choro seco arrebentando as cordas do violão.
É o sono que se nega a aproximar os sonhos da razão.
É o olho que rega sem intenção.
É a barreira do medo, é a pausa do coração.

Lucas Vieira