leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

sábado, 7 de setembro de 2013

DUMP ROULETS

1 mês! ;)

 

 

Nossa caçamba musical hoje traz (com um pouquinho de atraso!) algumas novidades no front da música eletrônica pra garantir o sacolejo do seu sete de setembro. Pegue seu coquetel molotov e requebre ao desviar das balas de borracha! Como faz um mês que tô enchendo o coco dos meus queridos leitores e parceiros da família Roulets#13, a edição de hoje é dobrada. Apreciem e bom fds!

 

 

 



Floorplan - Paradise


Robert Hood é um dos nomes mais importantes do bate-estaca no mundo. Pioneiríssimo, co-fundador de nada mais, nada menos que a famigerada Underground Resistance (de Detroit), que é de onde veio simplesmente tudo que é relevante em termos de techno e house na história da humanidade, quase sem exagero.

Floorplan é um nome através do qual o Robert lança coisas de cunho mais house (porque o negócio dele, assim como os dos parceiros Jeff Mills e Mad Mike, outras duas lendas absurdamente fodas, é lenha amiguinhos, porrada, techno duro, 4x4, quase industrial) desde 1996. Esse é uma espécie de début em LP, recheado de singles deliciosos que saíram no decorrer dos últimos dois anos. Esqueça a chacota. Isso aqui é música eletrônica de verdade, sem firulas e fiel às raízes.



 http://www.dominorecordco.us/images/artists/jon_hopkins/Jon_Hopkins_Immunity_Artwork_hires.jpg


Jon Hopkins - Immunity

E a história desse mano é prova de que tudo e todos está/estamos misturado(s). Apesar de ser produtor de música eletrônica (de Londres), conhecia um guitarrista (Leo Abrahams, do Imogen Heap), que por sua vez apresentou o Jon pra ninguém menos que o Brian Eno (Lenda da música também; compositor, produtor, um dos pais da ambient music. Eu sei que tô cheio das lendas hoje, mas acredite em mim, não é lenda hahaha), e o Brian em 2009 tava produzindo um disquinho aí que chama Viva La Vida, de uma bandinha aí que chama Coldplay. Resultado: várias faixas do disco são co-produzidas por ele, a introdução do disco era de uma faixa originalmente dele, e ele toca em várias faixas.

Chega de história: Immunity é um disco de minimal house, basicamente. Cheio de passagens melódicas, quase melancólicas e ambientes etéreos, barulhinhos estranhos, tons abafados, passagens de piano secas e simples, e momentos a la Aphex Twin chapado de rivotril. Rola também um flertezinho com o snare drum (a caixa da bateria) que pode remeter ao dubstep sub-aquatico do Burial (de quem ainda vou falar aqui). Muita gente gosta de falar que "menos é mais". Na minha opinião nem sempre é verdade, mas nesse caso é. Dos melhores do ano, fácil.






  O Bônus: os dois melhores mixes de drum and bass do ano.

 

http://f0.bcbits.com/img/a0765885007_10.jpg

Technical Itch - Dubs From the Lair


Marc Caro é um ídolo. Pra mim pelo menos, rs. Desde a segunda metade dos anos 90, com a popularização do drum and bass/jungle, ele empurra (junto com outras leeeendaaaassss hahaha tipo Ed Rush and Optical, Bad Company, Dylan, B-key, etc.) o ritmo pra um lado pesado, escuro e sombrio (chamado carinhosamente de darkcore). Depois de uma endurecida no darkcore que deixou o estilo robótico e ligeiramente chato (falei sobre isso já numa outra seção do blog, a Drop Roulets), acho que todo fã do sacolejo invertebrado tava meio que na espera de um retorno ao Amen Break*.

 E eis que Tech Itch vem para salvar o dia. Quando o mix saiu (junho), não tinha nem tracklist: quase 100% de faixas autorais que estavam em fase de pós-produção. Em agosto, com o lançamento da primeira parte da trilogia Progression Threat, já deu pra reconhecer alguns sons nesse mix. Mal dá pra esperar, Tech Itch é peso e classe de mãos dadas. Dá até vontade de bater cabeça!
*Pra saber melhor o que e é Amen Break, acesse  http://en.wikipedia.org/wiki/Amen_break






 http://www.dnb.in.ua/forums/uploads/post-13-1151333966.jpg

Raiden - Technology Bank Holiday Special


Mix lançado em meados de abril/maio com a simples intenção de promover uma balada pesada que rola em Londres, a Technology, mas que caiu no ouvido desta pessoa doente por drum n'bass, atingindo o ápice de rotatividade auricular em poucos dias. Só porrada também, destaque para a abertura do Theory (Final Confrontation) e a faixa Temptress, do Smyla com o B-Key: Join me in my trip to fantasy...


Detalhe: esse mix é primorosamente recheado com mash-ups de artistas que não fazem drum n'bass, como Jeff Mills e Aphex Twin (que estão espalhados por aí nesse texto). Com isso, provo por A+B que realmente tudo está misturado, fecho o ciclo e me despeço. Abraços a todos e até o próximo dump!