leia mais...

POEZINE-SE II

Neste segundo volume, o Poezine-se tem a honra de trazer os textos da uberabense e poetisa Jamila Costa. 

terça-feira, 3 de fevereiro de 2015

ARTE: O SIGNIFICADO DA EXPRESSÃO "CORPO FRUTÍFERO" NA FOTOGRAFIA DE GUILHERME DE SENE



Após um longo hiato estamos de volta trazendo o que de melhor é produzido aqui no Triângulo.

Hoje pela manhã tivemos um bate-papo com o artista e fotógrafo uberabense Guilherme de Sene sobre a sua nova exposição fotográfica "Corpo Frutífero". Fiquem ligados no que ele nos falou...

RouletsComo o nome "Corpo Frutifero" traduz para você e a exposição?

De SeneO nome corpo frutífero vem de fertilidade e trajetória. Há fotos que expressam a relação do homem consigo mesmo, mais a frente temos fotos que expressam a relação do homem com a natureza. E por fim a relação do homem com o universo - usei o leite em algumas fotos em referência a Via Láctea.

R
Qual foi a complexidade desse projeto? Como foi desde a idealização até o resultado final? Quanto tempo para essa ideia sair do papel?

De SeneFoi muito complexo idealizar sim. Porque como fotógrafo profissional eu venho atendendo clientes há 5 anos. Cada cliente traz uma demanda. Isso dificulta muito o estabelecimento de estilo fotográfico. Num projeto como este o que não pode faltar é estilo e unidade na série fotográfica. Acredito que em todas as fotos desse projeto há diversas subjetividades intrínsecas da minha mente. É um processo criativo muito árduo. Fiz essas fotos para expor em galerias de artes e museus. Inclusive, estou inscrevendo-as em alguns concursos de fotografia. Para me destacar nesses ambientes tão exigentes eu tive que me desdobrar. Para você ter noção fiquei produzindo essas imagens durante 8 meses. E entre uma sessão e outra tive hiatos de até 2 meses. Eu mesmo me cobro muito durante a produção. O grande desafio é ver o que surge quando o modelo esta entre minha câmera e o fundo infinito do meu estúdio. Deve ser a mesma sensação do escritor em frente uma folha em branco.




E uma coisa interessante. Nenhuma dessas fotos foi planejada e as sessões são feitas sem roteiro. O que dirige o desenvolvimento do trabalho são as necessidades de expressão do meu inconsciente naquele momento. A única regra que me estabeleci foi manter a identidade dos modelos em sigilo para aguçar mais ainda a imaginação dos observadores das obras.


Uma vez ouvi um famoso curador de arte dizer que quando um pintor sabe o que vai sair na tela antes de iniciar o trabalho ele não deve nem pegar o pincel ou separar as tintas. Acredito que essa regra vale para a fotografia autoral também. Não devemos nunca saber o que sairá após a revelação do filme. Devemos estar imersos nas possibilidades de erro e tentativa também. Arte envolve muito risco e incerteza.

RVocê havia falado sobre estilo, gostaria de entender até onde essa mudança pode auxiliar ou atrapalhar na formação de um estilo próprio. E como essa busca por "erros e acertos", se é que posso chamar assim,  tem te ajudado nesses anos como fotografo profissional?

De Sene: Quando recebo encomenda de um cliente, geralmente preparo um roteiro que é discutido em reunião para sair como planejado. É exigido agilidade no processo e 100% de coerência com o planejado. Não há muito espaço para tentativas e erros nesse caso. Há padrões técnicos e comerciais a serem seguidos.

Mas quando realizo um projeto como Corpo Frutífero estou comprometido apenas comigo mesmo. Nesse caso eu tenho total liberdade para me expressas e de fato mostrar meu potencial como fotógrafo.



RComo fotografo, como você vê e sente a mudança de amador para profissional? Aumenta o leque de oportunidades ou afunila? 

Uma coisa não ajuda nem atrapalha a outra.

Mas tenha certeza que produzir esse trabalho que envolve mais expressão do que roteiros é muito mais complexo. Pois exige do fotógrafo seu lado autor. Toda a bagagem cultural é acessada nesse momento. A auto-cobrança é muito cruel. Não há a mesma tranquilidade de atender uma demanda. Há apenas a difícil tarefa de produzir imagens únicas que me surpreendam após a revelação dos filmes e que toquem o público de maneira que nenhuma fotografia comercial é capaz de tocar.

RQuais são os seus objetivos atuais com esse trabalho e o que você espera que as pessoas absorvam? 

De SeneMeu objetivo é impactar através da minha expressão. Espero que elas absorvam a carga estética e filosófica das fotos. Todas são fundamentas em movimentos artísticos e períodos da história da arte. É um trabalho no qual apliquei muitas referências. No meu site eles podem conferir até uma fotografia onde faço uma homenagem a Tarsila do amaral.